2ª VIAconta água
Home do Site SAAE Pedreira

Setor Operacional

(19) 3853-3105

(19) 3852-3508

Setor Administrativo

(19) 3852-4653

(19) 3852-4654

Resumo

Atualização do Portal

08/08/20 23:00h

NOTÍCIAS & OBRAS

SAAE esclarece que água de cor alaranjada é por tempo limitado

quarta, 17 de fevereiro de 2016

O SAAE Pedreira recebe muitas ligações dos consumidores quanto a cor da água que chega às torneiras, após serviços de manutenção na rede de distribuição. Essa mudança na coloração é temporária e em pouco tempo se normaliza. Além disso, o aparecimento de água na cor alaranjada nas torneiras, após o reparo de redes, é minimizado através da abertura das torneiras, que esgotam a água barrenta, porém, em alguns pontos a clarificação da água é mais lenta.
Geralmente durante os reparos das redes, parte da terra resultante das escavações, pode inevitavelmente penetrar pela tubulação. Quando da conclusão do reparo esse barro é levado pela água adentrando indistintamente nas residências.
“A água da rede, distribuída pelo SAAE de Pedreira não precisa ser filtrada. Ela é potável e livre de impurezas, conforme atesta as coletas mensais feitas e avaliadas pelo ARES-PCJ, mas se o consumidor quiser utilizar o filtro, tem de mantê-lo sempre em boas condições, seguindo a instrução do fabricante”, pontua o diretor-geral do SAAE Celso José Leite Filho.
O prefeito Carlos Pollo lembra que “a água potável é aquela que pode ser consumida com segurança pela população, apresentando, portanto, características físicas, químicas, biológicas e organolépticas, em conformidade com a legislação específica (Padrões de Potabilidade). Uma água potável não deve ser confundida com água pura ou água limpa. Água pura só pode ser fabricada em laboratório, através de processos de destilação. Na água potável é permitida e até necessárias algumas substâncias químicas dissolvidas (principalmente sais minerais) só que em concentrações limitadas (valores máximos permitidos). Por outro lado, à água limpa que nós chamamos popularmente de cristalina, não é suficiente para ser considerada potável. Dentro dela podem existir muitos microorganismos, invisíveis a olho nu, que podem causar doenças”, concretizou o prefeito Carlos Pollo.
Sidenei Defendi
ASCOM- Prefeitura de Pedreira

Comente e participe:


Aterro Sanitário tem nova frente de trabalho com instalação de 3.000m2 de manta PEAD

quarta, 17 de fevereiro de 2016

O SAAE – Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Pedreira, através do Departamento Técnico de Saneamento - concluiu a instalação de 3.000 m² de manta PEAD de 2,00 mm de espessura, para a nova frente de trabalho, no Aterro Sanitário Municipal, visando a disposição dos resíduos sólidos domésticos coletados diariamente no Município.
De acordo com as informações do engenheiro José Moretti Neto, responsável operacional do Aterro, nessa frente serão implantados drenos de gases e de líquidos percolados (chorume), e será suficiente para a disposição de resíduos domésticos por aproximadamente 1 (um) ano.
O material utilizado (manta PEAD) tem características de alta resistência física a ruptura por tração e química a ácidos, bases, sais e solventes orgânicos e inorgânicos. Além disso, tem alto grau de segurança de impermeabilidade, com qualidade, durabilidade e resistência.
Moretti destaca que os revestimentos e impermeabilizações evitam a percolação de efluentes, liquames e chorumes no solo e subsolo, garantindo a estanqueidade, a disposição e armazenagem de resíduos. Elimina a possibilidade de contaminação do lençol freático, garantindo a integridade e preservação do meio ambiente.
O prefeito Carlos Pollo acentua que “esse trabalho tem como objetivo expandir a área de recebimento de resíduos, aumentando a vida útil do Aterro. A implantação do sistema de revestimento de base, evita o contato do resíduo com o solo, impedindo a contaminação pela infiltração de percolado e, consequentemente, de lençóis freáticos que podem estar presentes na Região”, concluiu Pollo.
Sidenei Defendi
ASCOM- Prefeitura de Pedreira

Comente e participe:


Consumidores devem ter caixas d’água com capacidade para enfrentar eventuais interrupções no abastecimento

quarta, 17 de fevereiro de 2016

O SAAE tem recebido muitas reclamações quanto a falta de água. O maior problema é que muitas residências não contam com reservatório de água suficiente para as eventuais manutenções das redes, que tem o abastecimento interrompido quando apresentam vazamentos. O diretor-geral do SAAE, Celso José Leite Filho, lembra que é importante os moradores estarem preparados para o desabastecimento. A Autarquia tem capacidade suficiente para tratar água que atenda todos os consumidores.
“Por mais que pareça óbvia, essa questão é importante. Para que serve a caixa d'água? Ela serve para abastecer a casa nos dias em que o serviço público registra problema na rede e o fornecimento é interrompido. Se não fossem por esses cortes, as caixas d’água não seriam necessárias e se usuaria a água que vem diretamente da rua, o que, além de baratear as construções, eliminaria a necessidade de lavar o reservatório periodicamente, para evitar contaminação. A caixa d’água é a reserva que garante o abastecimento em dias de interrupção no fornecimento. As normas brasileiras dizem que os reservatórios de água devem ser suficientes para suprir dois dias do consumo de uma casa. Entretanto, esse número pode variar em função da localização da casa e do tipo de utilização.
Há tabelas que mostram o consumo médio de água para cada tipo de construção. Para uma residência, o consumo médio por pessoa é de 150 litros por dia. No caso dos apartamentos esse consumo é maior, 200 litros por pessoa por dia. em função da maior pressão da água, que acaba acarretando em maior consumo. Logo, sabendo-se para quantos dias a caixa d'água será projetada e quantas pessoas há na casa, é só fazer um cálculo simples. Como exemplo, para uma casa de seis pessoas, uma caixa d’água projetada para suprir o consumo de dois dias deverá ter: 6 (pessoas) x 150 (litros/pess.) x 2 (dias) = 1.800 litros”, destaca o prefeito Carlos Pollo.
“Deve-se lembrar ainda que, no caso de falta d'água é comum as pessoas economizarem naturalmente, tomando banhos mais rápidos, evitando lavar roupas, quintais e calçadas. Ou seja, não é necessário exagerar na quantidade de dias que a caixa deverá suprir, visto que o consumo médio provavelmente cairá nesses dias em que o abastecimento estiver com problemas. Como as caixas ficam normalmente sobre as casas, seu peso influirá no cálculo da estrutura. Como 1.000 litros de água, um reservatório pesará 1.000 kg; e quanto maior a capacidade, mais resistente a casa tem de ser para a estrutura suportar o peso do reservatório. Portanto, não deve se exagerar no tamanho da caixa, para que o custo da obra não fique proibitivo”, acentuou Celso Leite.
O prefeito Carlos Pollo, salientou, por fim, que deve-se economizar o máximo possível de água no dia-a-dia. Água com pressão exagerada, chuveiros com muita vazão ou hábitos condenáveis como lavar a calçada diariamente aumentam o consumo e exigem maiores investimentos na construção por conta de caixas maiores e mais caras. Logo, evite o consumo exagerado e tenha uma caixa adequada, de tamanho suficiente e com um custo que caiba no bolso do consumidor”, complementou o prefeito Carlos Pollo.
Sidenei Defendi
ASCOM- Prefeitura de Pedreira

Comente e participe:


SAAE realiza 558 intervenções em janeiro de 2016

quarta, 17 de fevereiro de 2016

De acordo com os levantamentos efetuados pela Diretoria Operacional, o SAAE – Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Pedreira - realizou, durante o mês de janeiro de 2016, 558 procedimentos diversos, visando garantir o bom atendimento aos consumidores. A Autarquia tem aprimorado os trabalhos de atendimento à população, seguindo a determinação do prefeito Carlos Pollo e do diretor-geral Celso José Leite Filho. A assistência aos reparos emergenciais tem sido desenvolvida dentro do mínimo tempo possível, para evitar transtornos maiores aos moradores.
O diretor-operacional do SAAE, Nelson Antonio Cremasco destaca que dentre as ocorrências registradas, a manutenção de água, mais uma vez, liderou os serviços, com 312 intervenções dos técnicos, seguida da manutenção de esgoto, com 113 assistências. O que se registrou acima da média foi o número de atendimentos pelo Caminhão Pipa, totalizando 86 viagens, em função das paralisações para conserto do Reservatório do Marajoara. “As Equipes não param e sempre que acionadas estão prontas para efetuar os reparos, de forma rápida e essa resposta de boa qualidade reflete na satisfação da Comunidade”, completou Nelson Antonio Cremasco.
O prefeito Carlos Pollo, por sua vez, considera imprescindível o esforço das Equipes Técnicas do SAAE na manutenção da qualidade do atendimento. “É claro que realizar obras, ampliações e todo tipo de avanço é importante para nossa estrutura, mas o trabalho de manutenção é vital para a subsistência de todo o sistema de água e esgoto da cidade. O atendimento preciso está diretamente relacionado a pronta resposta, ou seja, menor tempo transcorrido desde um chamado até a chegada da Equipe de Reparos ao local de vazamento, entupimento etc. A ocorrência das incidências, evidentemente é imprevisível, e elas são registradas em diferentes graus de severidade. A duração do deslocamento, em muitos casos, depende de uma série de fatores, mas o empenho é fundamental para que o período de normalização seja reduzido ao máximo”, asseverou o prefeito Professor Carlos.
Celso José Leite Filho, diretor-geral do SAAE, lembra que “a Instituição tem procurado atender o mais rápido possível, visando eliminar os transtornos causados por rompimento de redes de distribuição de água ou entupimentos em redes de esgoto”.
Para lidar com as interrupções no abastecimento de água as Equipes são orientadas e estão preparadas para executar os serviços no menor tempo e propiciar o restabelecimento dos serviços rapidamente, apesar das diferenças topográficas do Município. O SAAE está conseguindo até reduzir o tempo dos consertos e, por consequência, o período de eventuais cortes no fornecimento. Pelos números apresentados, a média foi de 18 atendimentos ao dia. Essa determinação é importante e o consumidor sabe que terá o serviço restabelecido rapidamente”, arrematou o prefeito Professor Carlos.
TIPOS DE SERVIÇO/Nº DE OCORRÊNCIAS
Manutenção de Água/312
Manutenção de Esgoto/113
Ligação de Água/04
Ligação de Esgoto/01
Mudança de Hidrômetro/04
Cancelamento Inscrição/01
Limpeza de Fossa/37
Caminhão Pipa – viagens/86
TOTAL/558
Texto: Sidenei Defendi
ASCOM- Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Pedreira

Comente e participe:


Troca de hidrômetro mostra o consumo real e justo

quarta, 17 de fevereiro de 2016

Os equipamentos que medem o consumo de água dos consumidores de Pedreira estão sendo substituídos gradualmente, pelo SAAE. O objetivo é que os novos hidrômetros meçam com maior precisão e que os consumidores paguem pela quantidade efetivamente consumida e não inferior do que usada, como ocorre hoje, em muitos pontos da Cidade.
O diretor-geral do SAAE Celso José Leite Filho explica que “inicialmente serão trocados os equipamentos das residências que o gasto medido seja aparentemente incompatível com o porte do imóvel ou atividade exercida no endereço. Não serão trocados por bairros. Está havendo uma pré-análise de cada ligação. O serviço é feito por funcionário da própria Autarquia. Segundo o diretor-geral do SAAE, nos casos de substituição, os custos não são cobrados dos consumidores”.
O prefeito Carlos Pollo adiantou que há estudos que indicam que “a tendência é de que após cinco anos de uso, os hidrômetros passam a registrar o consumo incorretamente, por causa do desgaste. Acrescentou que a substituição em maior escala será contínua para retirar os equipamentos antigos”, ressaltou o prefeito Pollo.
Apesar da troca dos hidrômetros, que supostamente registram menos, os técnicos do SAAE acompanham de perto a situação de cada equipamento substituido, que passam a registrar com maior precisão o consumo de água, gerando o valor real e justo do gasto com água.
Segundo Celso Leite, diretor-geral do SAAE, um fato que ocorre com frequência, após a substituição do medidor – e isso tem sido constatado pelos técnicos - é o aparecimento de pequenos vazamentos internos, que antes não eram registrados pelos hidrômetros imprecisos. É possível indentificá-los, quando o hidrômetro gira sem parar, com todas as torneiras fechadas.
O prefeito Carlos Pollo salienta que, “se houver uma distorção muito elevada no valor da conta, o consumidor deve pedir a reavaliação. Geralmente é aguardada a próxima leitura para verificar se a situação normalizou ou pode ter havido algum vazamento", arremata o prefeito Carlos Pollo.
Sidenei Defendi
ASCOM- Prefeitura de Pedreira

Comente e participe:


Água distribuida aos moradores do Jardim Andrade atende aos padrões de potabilidade

quarta, 10 de fevereiro de 2016

O prefeito Carlos Pollo e o diretor-geral do SAAE-Pedreira Celso José Leite Filho receberam da ARES-PCJ – Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí – os resultados do Relatório de Ensaio nº 9732.2015.U-V.O, oriundo da coleta de água realizada em dezembro de 2015, na Rua José Serra, altura do nº 240, situada no Jardim Andrade. Como de costume, os técnicos desenvolveram os trabalhos em dias e horários incertos, para que o parecer se mostre eficiente, retratando a realidade da qualidade da água consumida pelos moradores do local. Submetida à análise de laboratório especializado, a água coletada não apresentou nenhuma irregularidade nos parâmetros avaliados, atendendo plenamente a Portaria 2.914, de 11 de dezembro de 2011, do Ministério da Saúde, no que tange aos padrões de potabilidade. A água que abastece os moradores do Jardim Andrade está livre de poluentes e agentes químicos nocivos, que inviabilizem sua utilização, indicou o Relatório de Ensaio.
O SAAE de Pedreira continua atuando com rigor, monitorando ininterruptamente a captação de água feita do Rio Jaguari e todo o processo de tratamento, para manter a qualidade e a potabilidade da água distribuída à Comunidade. A verificação possibilita acompanhar se as normas vêm sendo cumpridas, uma vez que é atribuída a ARES - Agência Reguladora de Saneamento: fiscalizar e analisar periodicamente a qualidade da água distribuída à população do Município.
As amostras coletadas passam por exames físico-químicos e microbiológicos. Nestas análises são apreciadas a cor, turbidez, fluoretação, cloro residual e a quantidade de coliformes totais e fecais. No último diagnóstico da ARES-PCJ - que fez coletas de amostras na José Serra, altura do nº 240, Jardim Andrade, em 1º de dezembro de 2015, às 13h55, temperatura ambiente de 30 graus, com chuva ausente naquele momento - porém com chuva média nas 24 horas anteriores - sol entre nuvens e vento fraco. As análises não apresentaram nenhuma anormalidade, atendendo plenamente aos parâmetros mensurados pela Portaria 2.914, do Ministério da Saúde, garantindo os padrões de potabilidade, ou seja, a água consumida pelos moradores deste Setor é de qualidade. Mensalmente o consumidor recebe os resultados na conta de água.
“A análise feita pela ARES-PCJ vem ratificar os resultados das análises próprias que os técnicos do SAAE Pedreira realizam diariamente no laboratório próprio ou em laboratórios terceirizados. O fato da ARES-PCJ atestar a qualidade da água distribuída à população pedreirense dá ainda mais tranquilidade e certeza de que o trabalho que se realiza é de qualidade”, enfatizou o diretor-geral da Autarquia Celso José Leite Filho.
“Água potável é a água que pode ser consumida com segurança pela população, apresentando, portanto, características físicas, químicas, biológicas em conformidade com a legislação específica (padrões de potabilidade)”, emendou o prefeito Carlos Pollo, lembrando que “o SAAE garante a qualidade da água distribuída à população até a entrada do imóvel, na estrutura do cavalete, onde existe o medidor de consumo (hidrômetro). A água que o SAAE entrega pela rede de distribuição tem um contínuo controle de qualidade. A manutenção da qualidade da água, nos cômodos internos da residência é dever e responsabilidade de cada morador. Por isso, deve manter suas instalações hidráulicas sempre em bom estado de conservação e limpar a caixa d'água pelo menos duas vezes ao ano. Toda caixa d'água deverá ficar permanentemente tampada e bem vedada”, pontuou o prefeito Carlos Pollo.
“A água que chega aos consumidores deve atender aos padrões de potabilidade estabelecidos pela legislação. Por isso, o SAAE, responsável pelo serviço de abastecimento de água da Cidade tem de manter um controle da eficiência do processo de tratamento. Esse trabalho da ARES-PCJ dá total credibilidade aos serviços que desenvolvemos desde a captação, passando pelo tratamento e chegando às torneiras dos consumidores”, assinalou Celso Leite.
O prefeito Carlos Pollo aponta que laudos mensais enviados pela ARES-PCJ, que realiza a coleta e os ensaios, comprovam a qualidade da água tratada em Pedreira. “Essa avaliação dá o suporte essencial de que a água que chega às casas está dentro dos padrões de potabilidade. Campanhas de conscientização pelo uso racional da água continuam sendo desenvolvidas”, conclui o prefeito Pollo.

Comente e participe:


12

 

 

 

   Categorias

  Notícias

  Obras

   Arquivo

  2020
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL

 

  2019
JAN DEZ FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV

 

  2018
MAI JAN FEV MAR ABR JUL AGO SET JUN OUT NOV DEZ

 

  2017
DEZ FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV JAN

 

  2016
JAN FEV MAR ABR MAI DEZ JUN OUT NOV

 

  2015
NOV JAN DEZ FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT

 

  2014
DEZ JAN MAR ABR AGO SET JUL MAI OUT NOV

 

  2013
DEZ JAN FEV MAR ABR JUN JUL AGO SET OUT NOV

 

  2012
NOV JAN FEV MAR ABR MAI JUL OUT

 

  2011
SET OUT DEZ AGO NOV

 

DIGITE SEU E-MAIL E RECEBA NOVIDADES!
OK